Páginas

sábado, outubro 08, 2011

Enserenada

"Se ao menos eu soubesse
Dos detalhes do teu rosto
Se um sonho me trouxesse
A alegria aqui por posto
Alegria de viver
Num mate cevado por ti
E a tristeza por querer
Bem mais do que mereço
Tua alma eu já conheço
Teu semblante eu nunca vi
Quem sabe me apareça
Numa tarde de inverno
Me trazendo um beijo terno
E um sorriso de verão
Eu te entregue num abraço
Um querer maior que tudo
Que o meu rancho fique mudo
Para ouvir teu coração
E eu me veja em teus olhos
Na nudez da madrugada
Pra viver por ti, amada
E afogar a solidão

Imagino o teu sorriso
Flor do campo enserenada
Refletido nas aguadas
Do meu bem querer
Alegria de viver
Num mate cevado por ti
E a tristeza por querer
Bem mais do que mereço
Tua alma eu já conheço
Teu semblante eu nunca vi
Quem sabe me apareça
Numa tarde de inverno
Me trazendo um beijo terno
E um sorriso de verão
Eu te entregue num abraço
Um querer maior que tudo
Que o meu rancho fique mudo
Para ouvir teu coração
E eu me veja em teus olhos
Na nudez da madrugada
Pra viver por ti, amada
E afogar a solidão

Jairo Lambari Fernandes

Nenhum comentário: