Páginas

domingo, fevereiro 27, 2011

Gramática do amor

“O homem é deslumbrado. Aprende algo e já quer sair fazendo. Não estabelece uma conversão de idiomas. Uma tradução. Um tempo de maturação. A mulher consegue, por exemplo, identificar o que representa para cada homem e manter as individualidades. Não mistura, não sobrepõe, não é influenciada."

(…)
“Tentará ser mais contundente, mais elétrico, para suplantar a traição com a virilidade. Esconde sua fragilidade pela força. Dificilmente um homem é suave depois que trai. Ele carrega o choque da descoberta de um ritmo distinto. Não chegará mansamente, é como se quisesse narrar a novidade. Para se convencer que melhorou. Daí uma fragilidade do nosso gênero: ele confia que melhora pela quantidade de mulheres, não pelo conhecimento aprofundado de uma delas.”

Fabrício Carpinejar


Nenhum comentário: