Páginas

terça-feira, setembro 28, 2010

não quero saber quantas namoradas
que eu não descobri
silêncios e desvios que eu não percebi
nem quero saber
sobre aquele fim de semana que não te vi
do teu pouco caso com o meu sofrimento
de nenhum movimento a meu favor
de nenhum amor que eu me lembre

não quero saber
quantas mentiras pra me acalmar
quantos mares a navegar sem mim
que fim deram aqueles retratos
se aquele abraço era mesmo assim

não quero saber
quantos meses você me deixou
a delirar e quantos resentes me deu
sem escolher e quantos beijos foram dados
por dar

não quero saber dos requintes
da crueldade nem do momento fatal

o que não se sabe
não faz mal


Martha Medeiros

Nenhum comentário: